Blog

Esperança…

Após 5 dias de repouso absoluto voltei ao médico para avaliar o resultado da fotocoagulação no olho direito.

Estava muito bom!! Porém fui informada que teria que fazer cirurgia do mesmo jeito.

😦  😦  Puuuutz!!!

Mas enfim, tentei me preparar psicologicamente e no dia da cirurgia lá estava eu. Fui para o bloco cirúrgico e fiquei no soro por uma hora. Neste período um outro médico que nunca havia visto chegou para me avaliar. Era o cirurgião.

Eu não tenho palavras para definir aquela pessoa. Um olhar sereno, e uma voz reconfortante. Ele percebeu que eu não estava bem. E eu estava realmente péssima. Afinal esse problema de saúde veio num momento em que eu tinha planos incríveis. Tive que abrir mão de tudo e ainda estava assimilando isso.

Sem contar o medo da cirurgia. Para quem não sabe, tanto a Vitrectomia como a Retinopexia são cirurgias invasivas, com muitos riscos. E pra piorar é feita com o paciente ACORDADO!!! OMG!!!!!

o-sistema-perverso-da-esperanca.html

Tenho um caso na família, e conheço outros em que a pessoa voltou pior. E depois foram feitas outras e outras cirurgias… Eu definitivamente não queria passar por isso. E após uma hora tomando soro, NÃO PASSEI!!!

O médico desistiu da cirurgia, preferiu esperar pra ver se minha situação iria piorar a me expor antes à uma cirurgia que poderia me trazer danos.

Isso não é lindo!!??? Vontade de dar um beijo e um abraço bem apertado nesse cara!!!!! 🙂

Fui para casa com uma estranha sensação de esperança.

 

 

 

Uma tristeza profunda…

…foi o que senti.

No momento em que estou vivendo, ter que passar por uma cirurgia. E ainda desembolsar essa grana!

Bem,  perguntei se a médica sabia de outras possibilidades, e ela muito atenciosa me indicou a Santa Casa para tentar a cirurgia pelo SUS. Foi o que fiz.

No dia seguinte após esperar algumas horas, consegui a cirurgia em caráter de emergência para o mesmo dia, porém o bloco cirúrgico da Santa Casa de BH estava fechado, haveria um congresso no dia seguinte e os médicos do setor já tinham ido. Fui encaminhada para outro hospital e lá fui atendida e avaliada por alguns residentes e oftalmologistas.

Em decisão emergencial, um dos médicos decidiu realizar a fotocoagulação. Lá fui eu mais uma vez. Em jejum desde as 7h da manhã (já eram 17h00) sem forças, triste e perdida. (vale lembrar que eu estava em jejum porque estava aguardando para uma cirurgia mais invasiva, a tal Vitrectomia)

Vamos lá, não mexa o olho. >>>> e peiiii >>>> Primeiro tiro de laser. Aiii!! Isso doeu.

Perdi as contas de quantos foram. E cada tiro era uma lágrima…kkkkkk…. Deve ter durado uns 20 minutos, não sei. Só sei que saí tonta e vendo tudo meio laranja…rsrsrsrs.

Bom, devido a gravidade do meu caso, fiquei em repouso por uns 5 dias. Mantive a cabeça numa posição específica. Não podia abaixar a cabeça, pegar peso, correr e cair. Dormi quase sentada com medo do líquido do vítreo que tinha vazado, forçar e romper o local que ainda tinha que cicatrizar.  Na verdade o medo de ficar cega era tão grande, que fiz repouso absoluto!!!

Preciso contar sobre o anjo que me atendeu…numa próxima post!!

😉

 

 

 

Como tudo começou…

Bem, começou há muitos anos atrás, aos 9 anos de idade quando comecei a usar óculos para uma miopia fraquinha: apenas -0,50 em cada olho.

De lá pra cá, entre visitas periódicas a oftalmologistas, meu grau veio aumentando cada vez mais. Desta forma, chequei aos 33 anos com -8,50 no olho direito e -8,00 no olho esquerdo. Trágico?? Não!! Pra mim estava tudo tranquilo.

Lentes de contato para trabalhar, e óculos de grau em casa para descansar os olhos. Fim de papo! Viveria tranquila assim até o fim dos meus dias. 🙂 Engano meu!

Um dia, pesquisando na internet sobre tratamentos naturais, encontrei uma página muito interessante sobre exercícios para os olhos (sim, eles existem! e ainda contarei aqui detalhes a respeito). Eram exercícios simples com promessas de resultados maravilhosos. Desconfiada, resolvi continuar pesquisando. Dias depois assistindo um desses vídeos percebi que o que era comentado na matéria, poderia ser um sintoma que eu estava sentindo no olho direito há algum tempo. Um flash muito estranho, que não conseguirei nunca explicar com palavras…rsrs

Hummm, comecei a me preocupar. Marquei imediatamente a consulta com uma especialista em retina.  Chegando lá, começou a tortura psicológica que descrevo brevemente nesta post.

OMG!! Minha retina já estava descolada, havia um buraco, e pra piorar já estava entrando líquido e causando um edema. Como assim? Nunca senti dor nos olhos, como pode?

É isso minha gente, descolamento de retina é um problema grave, porém silencioso.

A oftalmologista tentou na mesma hora realizar aplicações de laser (Fotocoagulação) para ver se resolvia. Tentou três vezes, sem sucesso.

Você terá que fazer uma cirurgia, disse ela. Vitrectomia. É simples. Não tem riscos. E tem que ser urgente, SENÃO VOCÊ PERDERÁ A VISÃO. Consigo uma vaga pra você depois de amanhã, numa clínica (diga-se de passagem, muito famosa em BH) que faz com desconto. Apenas 9 mil dilmas.

Hein??????

Continua…

 

Medo, medo, medo

É o resumo do que senti no momento em que recebi a notícia de uma oftalmologista muito solícita, porém, estranha:

Você teve um descolamento de retina, nossa!

Ela parecia mais apreensiva que eu. Durante o exame fazia barulhos como Hummm!! Nossa! Poxa!! Humm!! Não descolou. ahhh! Descolou sim!! Nossa, tem um buraco!!

Acho que não teria como eu me sentir pior, com uma pessoa avaliando meu olho direito e esboçando em tempo real, tanta decepção…rs

Talvez na tentativa de demonstrar empatia, ela me apresentou uma maneira bem pessimista de ver a situação.

Esse foi o início de uma jornada muito simbólica que deixarei documentado aqui neste blog.

Eu sou a Pólly, de Belo Horizonte. Muito Prazer!healthy eyes